español português english email
Índice
Missionários por necessidade
Missionários por Lei

Missionários por herança
Século XIX
Século XX

Missionários hoje
Zonas missionárias
Diocese de Shangqiu (Henan, República Popular da China)

Ministérios missionários
Missionários por necessidade
Religiosos, leigos e voluntários missionários
A maior parte dos missionários católicos forma parte de uma congregação religiosa. Muitas dessas congregações nasceram com esta motivação; seu estilo de vida favorece entregar tempo e vontade a tarefas pouco cômodas e simples; por último, sua estrutura interna lhes permite uma presença continuada em projetos a longo prazo.

Existem congregações que nasceram exclusivamente para a missão. Em outros casos, a missão tem sido uma de suas atividades e às vezes não se tem dedicado a ela a maior parte dos esforços e recursos. É o caso da Ordem dos Agostinianos Recoletos. Nela, a missão é uma necessidade, um imperativo, algo indispensável; mas não é a única dedicação.

Além de religiosos, religiosas e sacerdotes, nas missões católicas havia em 2010 um total de 316.836 leigos (Agencia Fides). Todo batizado tem um traço “missionário” iniludível, pois o cristão não pode ser indiferente ao mundo que lhe rodeia, ficar parado ante quem precisa dele.

A Província de São Nicolau de Tolentino não tem nenhum leigo missionário com tempo completo, a não ser na Prelazia de Lábrea, em virtude de um acordo com associações locais brasileiras para a atenção a alguns postos da missão.

Além destes “missionários leigos profissionais”, o outro grande campo (e muito mais numeroso) de trabalho missionário está no voluntariado; pessoas que por compromissos familiares ou de trabalho, não podem ter uma dedicação completa e permanente à solidariedade, mas dedicam seus fins de semana, férias e horas tiradas do lazer, para ser e sentir-se colaboradores da missão. Contribuem profissionalmente e com recursos, sem os quais muitas obras missionárias deixariam de existir

O voluntariado não requer uma plena comunhão ideológica ou religiosa com a Igreja. Pelas missões agostiniano-recoletas passaram voluntários pertencentes a outras religiões e inclusive não adeptos a nenhuma, porém que trabalharam com empenho e com respeito pelo bem dos beneficiados a partir da estrutura solidária oferecida pelas missões.

Nestes casos, somente se pede e se oferece aos voluntários, o respeito mútuo, a aceitação do trabalho e da vida dos religiosos missionários, dos valores e princípios nos quais baseiam sua relação com a população local, assim como alguns acordos no mínimo facilmente alcançáveis. É mais o que une duas pessoas empenhadas por um mundo justo e solidário, do que aquilo que as possa separar em outros âmbitos.

A missão é, portanto, algo aberto a todos e todas, segundo suas possibilidades, a partir de sua realidade, de seu compromisso e inclusive de sua ideologia. Ninguém pede mais do que se possa dar, porém bom é não contentar-se com menos do que se deve dar. A generosidade é um valor humano e um dos testemunhos mais significativos no mundo de hoje.

A ONG “La Esperanza” (A Esperança) nasceu para apoio e colaboração permanente das tarefas solidárias e as missões dos Agostinianos Recoletos no mundo.

A ONG Haren Alde foi fundada pelos Agostinianos Recoletos, leva o ideário da Ordem aos projetos de desenvolvimento, ações de solidariedade, apadrinhamentos, sensibilização, e amostra e apoia o trabalho dos missionários e missionárias recoletas no mundo.




Mais informações






E você, o que acha?

menu portada noticias reportajes agenda documentos nosotros material gráfico misiones escribenos intranet Entra y verás
Agostinianos Recoletos. Província de São Nicolau de Tolentino. Paseo de la Habana, 167. 28036 -Madrid, Espanha. Fone: 913 453 460. CIF: R-2800087-E. Inscrita no Registro de Entidades Religiosas do Ministério de Justiça, número 1398-a-SE/B. Política de privacidade.
Busca.